SEGURANÇA

29/4/2021  18:12:32 (*Atualizada em 6/5/2021  20:05:09)
 

 

Irreal e desacreditado, índice dos aluguéis chega a 32%

Por: Rudi Gonçalves

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Divulgado pelas imobiliárias nos contratos de reajuste dos aluguéis residenciais, o IGP-M continua manifestando índices anuais irreais à inflação no período e pressionando os locatários. Diferentemente da inflação anual, em torno dos 6%, medida pelo IPCA (oficial) ou INPC, ambos do IBGE, que reproduzem o custo de vida ao consumidor no País, o IGP-M/FGV representa a variação dos preços no atacado, na indústria da construção civil e no varejo, com índice de 32,02%, nos últimos 12 meses, até abril. Só nesse mês, a alta foi de 1,51% e no ano: 9,89%. 
 

A insensibilidade do Secovi-SP

 

O próprio sindicato das imobiliárias de São Paulo, Secovi-SP, reconhece o abuso do índice, mas defende sua aplicação nos contratos e sugere que os inquilinos busquem resolver a questão com os proprietários dos imóveis.

 

De acordo com Adriano Sartori, vice-presidente de Gestão Patrimonial e Locação do sindicato, que ‘lava as mãos’, a recomendação da entidade é de “que se o imóvel é ocupado por um bom inquilino, que sempre cumpriu em dia suas obrigações contratuais, o proprietário vai preferir negociar a ter seu imóvel vazio e arcar com os custos de manutenção como condomínio e IPTU. E, ainda, ter de buscar um novo inquilino”, diz.
 
O dirigente ainda sai em defesa dos proprietários. “Sabemos que boa parte dos locadores utilizam o valor do aluguel do imóvel como renda familiar ou complemento de aposentadoria. Por isso, nem sempre consegue dispensar o reajuste (do IGP-M) ou mesmo dar desconto por um longo período, pois também conta com do valor da locação”, afirma.

 

Conforme a entidade, que também representa as incorporadoras imobiliárias no Estado, esse é o maior percentual de reajuste dos últimos 18 anos. Em abril de 2003, o IGP-M acumulado em 12 meses foi de 32,97%.

 
Cálculo de reajuste

Apesar da irrealidade do índice nos últimos meses, o IGP-M ainda é um dos principais indicadores mantido pelas imobiliárias utilizado para reajuste do contrato de locação.  

 

O Secovi-SP divulga mensalmente o fator de atualização, que, no caso, é de 1,3202. Por exemplo, para atualizar um aluguel de R$ 1.500,00 que vigorou até abril de 2021, realiza-se a multiplicação de R$ 1.500,00 por 1,3202, que resultará em R$ 1.980,30, correspondente ao valor a ser pago no final do mês de maio ou início de junho de 2021.


Veja os reajustes dos últimos meses

 

Contrato com aniversário em maio/2021 e pagamento em junho/2021: 1,3202

 

Contrato com aniversário em abril/2021 e pagamento em maio/2021: 1,3110

 

Contrato com aniversário em março/2021 e pagamento em abril/2021: 1,2894

Contrato com aniversário em fevereiro/2021 e pagamento em março/2021: 1,2571

 

Contrato com aniversário em janeiro/2021 e pagamento em fevereiro/2021: 1,2314

 

Contrato com aniversário em dezembro/2020 e pagamento em janeiro/2021: 1,2452

 

Contrato com aniversário em novembro/2020 e pagamento em dezembro/2020: 1,2093

 

Contrato com aniversário em outubro/2020 e pagamento em novembro/2020: 1,1794

 

Contrato com aniversário em setembro/2020 e pagamento em outubro/2020: 1,1302

 

Contrato com aniversário em agosto/2020 e pagamento em setembro/2020: 1,0927

 

Contrato com aniversário em julho/2020 e pagamento em agosto/2020: 1,0731

 

Contrato com aniversário em junho/2020 e pagamento em julho/2020: 1,0651

 

Contrato com aniversário em maio/2020 e pagamento em junho/2020: 1,0668

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • https://www.linkedin.com/company/72259547/admin/

Ilustração / Magal

Aluguel - sindicato que se diz da “Habit

Conforme a entidade, que também representa as incorporadoras imobiliárias no Estado, esse é o maior percentual de reajuste dos últimos 18 anos. Em abril de 2003, o IGP-M acumulado em 12 meses foi de 32,97%

Banner_França_-_145x240.jpg
Banner Sicon - vertical.jpg