BEM ESTAR

26/8/2020  09:00:05

 

Dicas a inquilinos e proprietários, quando da devolução do imóvel

Por: da Redação

 

Uma startup de manutenção residencial, que atua na orientação de proprietários e inquilinos de imóveis, quando da devolução do bem alugado, oferece algumas dicas de como esse procedimento pode ser feito, segundo a empresa, de forma a atender às expectativas das partes envolvidas: locador e locatário

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O processo de locação de imóveis envolve diversos protocolos e cuidados com a segurança do local, para que assim haja acordo entre todas as partes, desde o proprietário até ao inquilino. A vistoria abrange três fases importantes: pré-locação, período de estadia e pós-locação.

 

Essas vistorias, de acordo com a Fix, startup de manutenção residencial, são utilizadas principalmente para se certificar sobre as condições do imóvel tanto para uso de moradia quanto para a devolução dele ao proprietário, para garantir que o local esteja nas mesmas condições em que o bem foi encontrado quando o negócio foi fechado.

 

A startup de manutenção residencial, com foco no segmento de inquilinos e proprietários de imóveis alugados, separou alguma dicas de como esse procedimento pode ser feito sem causar dores de cabeça.

 

Acompanhe o laudo de entrada

 

Esse trabalho costuma ser feito uma semana antes da entrega do imóvel, por isso, é importante que tudo esteja em ordem, como, por exemplo, a pintura das paredes e o conserto de avarias que tenham aparecido com o inquilino, e, também, que as contas sempre estejam em dia. Use sempre o contrato de aluguel como base para saber quais as responsabilidades de cada um.

 

Conheça a responsabilidade de cada um na hora de organizar os procedimentos de saída

 

Como mencionamos acima, o contrato é quem dará o pontapé inicial para esclarecer essas pendências. Enquanto as manutenções do que foi instalado pelo inquilino durante a locação são de responsabilidade dele, a vistoria final é contratada pela imobiliária ou pelo proprietário do imóvel.

 

Somente profissionais técnicos e certificados são capacitados para executar esse tipo de serviço, para avaliar o estado e relatar como o local foi encontrado. O laudo técnico de saída será comparado com o de entrada para alinhar informações e garantir o que é de direito do inquilino ou do proprietário.

 

Organize um cômodo da casa por vez

 

O laudo irá comparar cada espaço da casa para fazer o relatório de cada ambiente. Para ter o controle dessa organização na saída do imóvel, faça o acompanhamento e, se necessário, a manutenção de cada cômodo de maneira individual. Isso vai estabelecer um melhor comando das tarefas e melhor estruturação na hora de entregar o imóvel em ordem.

 

Para Thais Sterenberg, Cmo da Fix, , uma dica importante em todo esse protocolo é de separar essa análise por cômodos da casa e, assim, manter a organização do relatório para acompanhar com clareza o real estado do imóvel.

 

Steremberg acredita que, "para a fácil compreensão de todos, ter tópicos e guias sobre cada área de um cômodo facilita a avaliação de inquilino e proprietário, além do trabalho do vistoriador e do próprio prestador de serviços. Fazendo a avaliação do banheiro, dos quartos, da sala, da cozinha, da área de serviço e da área externa, é muito mais fácil solicitar de maneira assertiva as manutenções necessárias para um profissional. Isso pode até fazer com que o inquilino receba orçamentos mais baratos dos consertos e reparos, justamente porque a informação está mais clara sobre o que será necessário realizar", afirmou.

 

A através de um delivery de atividades, via app, a startup oferece também serviços como pintura, montagem de móveis, elétrica, hidráulica, e recebe orçamentos, escolhendo com base em avaliações de outros clientes.

Arquivo

A vistoria abrange três fases importantes: pré-locação, período de estadia e pós-locação

Banner_França_-_145x240.jpg

Anuncie | Conheça a Folha do Condomínio | Fale Conosco | Cadastre-se
© Copyright 2009. Folha do Condomínio. Todos os direitos reservados
Artigos assinados não refletem necessariamente a opinião da Folha do Condomínio OnLine