MUNDO

13/6/2021  09:12:43

 

 

Os olhos do mercado imobiliário para os consumidores 50+

Por: da Redação

A Organização das Nações Unidas (ONU), vê a população mundial passando por um processo de envelhecimento. Este fato se confirma devido ao aumento da expectativa de vida e à queda dos níveis de fertilidade. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a população com idade superior a 60 anos representará um quinto da população mundial.

 

O público 50+, é uma parcela da sociedade que cresce rapidamente, e nesse cenário trata-se de um importante consumidor que deve ser estudado e atendido pelo mercado imobiliário.  

 

Para a publicação Harvard Business Review, a economia prateada (conjunto de produtos e serviços que atendem a estas pessoas), deve movimentar no ano 15 trilhões de dólares no mundo e no Brasil, a expectativa é de que a cifra tenha atingido 1,8 trilhão de reais em 2020. 

 

As necessidades e o comportamento dos 'maduros' mudaram. Hoje, na visão da publicação, eles são ativos: trabalham, praticam atividades físicas, estudam e participam da vida agitada da cidade. Na hora da escolha do imóvel ou de decisões sobre como vão investir o seu dinheiro, não é diferente. Nos EUA, os 55+ são responsáveis por U$ 90 bilhões em reformas da casa, representando 47% do consumo neste setor, segundo a Agewave. 

 

A arquiteta Isabella Magliarelli, da IM Arch Design, é uma das profissionais que sempre viu na arquitetura uma forma de negócio para servir e colaborar para o bem-estar, autocuidado e conforto das pessoas. A partir de pesquisas extensas com base no Estdesign e nuances da moda para compor o conceito, ela atende aos desejos e necessidades de todas as idades de forma criativa, funcional e inspiradora. 

 

Ela sabe que cada um tem as suas individualidade e necessidades. “Na arquitetura, é importante buscar soluções flexíveis e sofisticadas para atender aos desejos de habitar da vida contemporânea. Sempre busquei desenvolver projetos personalizados para trazer a identidade dos clientes através da arquitetura e do design”. Porém, também percebe que a cara da moradia contemporânea é adaptada, moderna e tecnológica. Ambos os públicos hoje buscam por acessibilidade e socialização.  

 

Na visão da profissional, a praticidade e acessibilidade são muito importantes para a maioria da população, incluindo os 50+. Aqui no Brasil, segundo dados da pesquisa Tsunami60+ do Hype50+, 4 a cada 10 brasileiros dizem que faltam produtos e serviços para sua idade. E as soluções para adaptação e acessibilidade da casa estão entre as principais categorias com citação, entre 28% dos entrevistados. 

 

Uma das principais preocupações relacionadas ao processo de envelhecimento é a perda da independência física e financeira.  

 

Portando, para Magliarelli, pensar em ambientes seguros, confortáveis, práticos, com acessibilidade que facilitem o estilo de vida dos atuais maduros é atender as demandas de boa parcela do público 50+. “Devemos sempre lembrar da diversidade deste público, que pode variar de acordo com faixa etária, nível de dependência e capacidade física, estilo de vida e renda, por exemplo, o que nos permite criar soluções para diferentes necessidades”, defendeu. 

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • https://www.linkedin.com/company/72259547/admin/