SEGURANÇA

1º/1/2021  09:45:03

 

A atenção à vistoria na entrega do imóvel novo

Por: da Redação

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os últimos passos que antecedem a entrega das chaves de uma residência são repletos de ansiedade e cheios de significados, principalmente, para os proprietários, que irão morar no imóvel. Já para os incorporadores e ou construtores, os arquitetos Erika Mello e Renato Andrade, é o momento de finalização de um processo extenso e complexo. Por isso, eles defendem que é necessário o máximo de atenção em todos os processos.

 

O conselho está relacionado ao processo de vistoria realizado antes da entrega oficial realizada pela construtora. Antes de dar o aval para tudo o que foi feito, uma checagem é fundamental para avaliar se a obra foi realizada de forma correta e não resultará em dores de cabeça posteriores.

 

Acompanhe as dicas elaboradas
pelos profissionais

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Elétrica

 

É fundamental que o imóvel já esteja com o relógio instalado e a energia elétrica funcionando no momento da vistoria. Ao adentrar, o arquiteto Renato Andrade recomenda ter em mãos um multímetro digital (aparelho que mede a tensão, corrente e resistência) ou mesmo um carregador de celular para verificar se todas as tomadas estão funcionando.

Passando para o quadro de distribuição, é fundamental que os disjuntores estejam com os circuitos elétricos demarcados. “Como proteção e para manutenções posteriores, o morador precisa saber, por exemplo, qual é o disjuntor que representa cada cômodo para desligá-lo pontualmente”, explica Renato. Fechando a lista de elétrica, ter uma lâmpada na bolsa é bastante eficaz para testar, um a um, os bocais de iluminação.
 

Hidráulica

 

Passando para a parte hidráulica, é hora de abrir as torneiras de todos os cômodos. Para isso, Érika aconselha deixar que o fluxo de água acumule um pouco na cuba (seja do banheiro, da cozinha) e também do tanque instalado na área de serviço.

 

“O objetivo é verificar se o fluxo de água nas torneiras está a contento, se o escoamento de água está contínuo e se não existe nenhum tipo de vazamento nos sifões”, esclareceu a arquiteta.

 

Ao liberar o volume acumulado, a presença de bolhas e água parada são indicadores de possíveis entupimentos no sistema de esgoto hidráulico. Por último – e não menos importante –, o acionamento da descarga permite verificar o funcionamento do dispositivo, bem como se não há demora, além do normal, para o reabastecimento da caixa acoplada.

 

“Também fique de olho em possíveis manchas na parte inferior dos registros, que podem acusar problemas de instalação ou na peça. E cada ralo deve ser testado com um balde cheio de água”, complementou Mello.
 

Revestimentos
 

No capítulo revestimentos de parede e piso, um pedaço de madeira (que pode ser um cabo de vassoura com aproximadamente 10 cm) se torna a ferramenta para constatar se os materiais foram bem assentados. Com leves ‘golpes’ contra o material cerâmico ou porcelanato, é possível constatar a existência de um possível som oco – indício que evidencia o descolamento em função da ausência de massa e a não aderência na superfície.

 

O caimento do piso é outro tópico não perceptível a olho nu. Por isso, uma bolinha de gude ou de silicone possibilita apontar se há o escoamento em áreas importantes como o box do banheiro. “Essa medida, executada no durante a obra, faz com que a água escoa para o ralo, e não em sentido contrário”, elucidou Andrade.

 

A aplicação dos rejuntes são primordiais para evitar infiltrações e problemas no futuro. Dessa forma, o futuro morador necessita analisar se estão aplicados de forma homogênea e se estão limpos.
 

Portas, janelas e esquadrias

 

As esquadrias devem estar intactas e limpas – sem as proteções utilizadas durante a instalação e que devem ser retiradas pela construção somente no final da obra. “O excesso de sujeira costuma ocultar riscos e outros danos”, advertiu o profissional. De forma minuciosa, ele recomenda notar se os encaixes estão perfeitos e manusear as persianas e portas para aferir se não há nenhum desgaste ou puído.

 

“Nas fechaduras, abra e feche as portas mais de uma vez para ver se a chave gira tranquilamente na fechadura e fique atento para ver se as folhas estão empenadas, pegando no batente ou chão ou fazendo ruído exagerado”, propõe o arquiteto.

 

Outros detalhes que complementam a chegagem

 

As paredes devem estar lisas, sem sinal de umidade e com pintura homogênea. Nos banheiros e áreas molhadas, o gesso não pode apresentar manchas amareladas – sinal de que pode haver vazamentos do apartamento superior;

Se o apartamento for entregue com pisos, em nenhuma hipótese pode apresentar respingos de tinta.

 

Segundo Andrade, caso os moradores ainda tenham dúvidas com relação a vistória, um profissional pode acompanhá-los para realizar toda essa checagem antes da entrega do imóvel. “Muitos clientes aqui do escritório solicitam nossa assessoria para esta vistoria. Isso gera um conforto maior para pessoas leigas ou inexperientes”, finalizou.

Ilustração / Arquivo

Antes de dar o aval para tudo o que foi feito, uma checagem é fundamental para avaliar se a obra foi realizada de forma correta e não resultará em dores de cabeça posteriores

Arquivo

Observe o estado e as condições dos revestimentos aplicados nas paredes e pisos

Banner_França_-_145x240.jpg

Anuncie | Conheça a Folha do Condomínio | Fale Conosco | Cadastre-se
© Copyright 2009. Folha do Condomínio. Todos os direitos reservados
Artigos assinados não refletem necessariamente a opinião da Folha do Condomínio OnLine