top of page

16/2/2024     20:04:44

 

 

Drama da travessia da África à Europa por 2 jovens ganha as telas
Por: da Redação

Filme concorre ao Oscar 2024 na categoria Melhor Filme Interna
cional e chega aos cinemas brasileiros em 29 de fevereiro


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Resultado de várias histórias entrelaçadas de jovens que vivenciaram a travessia da África para a Europa, o longa-metragem Eu, Capitão, de acordo com o cineasta Matteo Garrone (“Gomorra”), “traz testemunhos das únicas possíveis narrativas épicas dos nossos tempos”. O filme concorre ao Oscar 2024 na categoria Melhor Filme Internacional e chega aos cinemas brasileiros em 29 de fevereiro, com distribuição da Pandora Filmes.

Ganhador de diversos prêmios no Festival de Veneza, entre eles de direção, o filme acompanha a jornada épica de dois adolescentes senegaleses, Seydou (Seydou Sarr) e Moussa (Moustapha Fall), que deixam Dakar e partem rumo a Europa. A viagem, no entanto, é repleta de obstáculos que, entre outras coisas, mostram o que pode haver de pior no mundo, desumanizando os dois rapazes.

 

Garrone, que assina também o roteiro com Massimo Ceccherini, Massimo Gaudioso e Andrea Tagliaferri, explica que conhecia as histórias de imigração apenas pela mídia que costuma narrar apenas os últimos lances dessas jornadas. A ele, interessava também saber o que acontece antes das pessoas chegarem na Europa.

 

“Ao visitar um centro de acolhimento para menores em Catânia, Itália, ouvi a história convincente de um jovem africano que, ainda com 15 anos, conduziu um barco durante todo o caminho para a costa italiana, salvando assim a vida de todos os seus passageiros”, conta o cineasta.

 

Com o filme, Garrone pretende trazer imagens completamente opostas àquelas perpetuadas pela mídia tradicional, narrando a partir do ponto de vista dos imigrantes, para que eles mesmos possam contar suas jornadas com seus perigos e superações.

 

“Para poder contar sua história repleta de perigos por dentro, tive que mergulhar no mundo deles, que é tão distante do meu. Para conseguir isso, tive que construir uma relação de colaboração constante com meninas e meninos que viveram uma situação horrível e que me orientaram durante a concepção do filme. Durante muito tempo, tive dúvidas sobre a minha legitimidade para contar esta história, mas é a história deles que eu conto.”

 

Mamadou Kouassi Pli Adama, ele mesmo um imigrante e colaborador no roteiro, explica que conheceu Garrone em 2019 quando foi apresentado por uma jornalista que pesquisava sobre o assunto. “O processo de produção do filme me permitiu contar a nossa história, recontar nosso sofrimento, descrever a nossa vida, as nossas tradições, as nossas culturas. O filme é uma possibilidade de compartilhar tudo isso com as gerações de hoje e as de amanhã. O cinema, como meio, dá voz às pessoas que não têm uma.”

 

Garrone confessa que o processo de escolha de elenco foi trabalhoso e aconteceu na África e na Europa. “Por fim, o mais sensato e eficaz era trabalhar com atores senegaleses muito jovens que nunca tinham saído do seu país, mas que, como a maioria de sua geração, sonha em viver em outro lugar. Encontrei assim o meu perfeito Seydou no ator Seydou Sarr (ganhador do Prêmio de ator no Festival de Cinema de Veneza de 2023).”

 

Desde sua exibição no Festival de Veneza, “Eu, Capitão” tem tido uma boa acolhida da crítica especializada. “O filme é surpreendentemente clássico em construção e estilo, guiando sabiamente nossa atenção em direção à história em questão - feita por um pequeno exército de roteiristas e colaboradores trazendo relatos de imigrantes em primeira mão”, avaliou a Variety.

 

Já a revista IndieWire apontou que “o filme de Garrone tem em sua essência uma alma humana tridimensional e devastadoramente realizada. O mundo precisaria prestar atenção à história de Seydou e às milhões de outras histórias reais semelhantes”.

Divulgação

“Por fim, o mais sensato e eficaz era trabalhar com atores senegaleses muito jovens que nunca tinham saído do seu país, mas que, como a maioria de sua geração, sonha em viver em outro lugar", disse o diretor

PUBLICIDADE

Banner Dado 6.jpg
Banner Sicon - vertical.jpg
Banner Festa em Papel (135x250).jpg
bottom of page